quarta-feira, 18 de março de 2009

5 - Eutanatos


Eutanatos(Euthanatos)

"Porque você se agarra tão firme em si mesmo?Isto é apenas uma casca, e as cascas se quebram.seu espírito é que é o imortal verdadeiro."

Nós começamos a morrer desde o momento em que nascemos. Vagarosamente, dolorosamente, alegremente, nós nos reunificamos ao Grande Desfazer que nos destrói, apaga nossa individualidade e nos manda de volta, quem sabe, para uma outra viagem. A idéia aterroriza a maioria dos ocidentais. O medo explica a má reputação dos Eutanatos.Embora os Eutanatos glorifiquem a morte, a "morte breve" (ágama) de sua iniciação deixa suas marcas nele. A maioria dos magos acusam esta Tradição de assassinato, tortura, genocídio, necromancia, vampirismo e outros horrores. Há muitos enganos - e algumas verdades - por trás desses boatos.

Filosofia: As coisas se quebram. A noite cai sobre o dia. Todos morrem, até mesmo nós. A Roda não chora por ninguém. Mas amanhã sempre volta. Isto é parte do trado. Tudo recomeça outra vez. Como você pode duvidar que isso seja natural? A morte é apenas um breve sono. Nós estamos apenas tentando acordar os Adormecidos antes que seja tarde demais.

Estilo: A magia dos Eutanatos vem da sua harmonia com o Grande Ciclo, ou Roda, que eles personificam em uma infinidade de divindades do nascimento e da morte (Kali, Perséfone e o Barão Samedi são os mais comuns). Muitos utilizam este ciclo entrando num transe suave ou focalizado sua vontade através de cartas, dedos ou outros objetos para tirar a sorte. Alguns Eutanatos modernos usam símbolos da mortalidade - ossos, crânios, a terra de cemitérios, etc - enquanto outros trabalham usando armas purificadas.

Esfera: Entropia

Focos Comuns: Dança, dados, cartas, armas, ossos, incenso, canto, velas, meditação.

Organização: razoavelmente, liberais e democráticos; a sua maioria dos Marabus (Capelas) tem autonomia e decide toda sua política internamente. As reuniões são realizadas no primeiro dia de cada mês. Dizem que um grupo exclusivo, a Lâmina da Liberdade, fiscaliza a Tradição à procura de sinais Nefândicos e supostamente obedecem à misteriosa Consangüinidade de Alegria Eterna. Outra facção, a Faixa Branca, administra as necessidades dos Adormecidos que podem ser salvos.
Os líderes Eutanatos são chamados de Paramagurus ou Acarya (Mentores). As facções são: Natatapas, que se concentram na Índia e sabem de Hinduísmo e Budismo; Madzimbabwe que lidam com espiritualidade e cura e vieram da África; Pomegranate Deme, que estuda os mistérios de Perséfone e o Mundo Inferior grego; Auxiliadores, que são magos de origem celta; Lhakmistas ou “seguidores da sorte”, que são atraídos pela teoria da probabilidade e da incerteza quântica; Cálice Dourado, que reúne assassinos políticos; Cavaleiros de Radamantis, que dominam a Entropia e técnicas aterrorizantes de combate; e Albireo, que é o grupo mais importante dessa Tradição, entre outros.

Iniciação: Todos os novos membros precisam passar pela agama ("morte curta"), uma experiência próxima a morte que os leva ao Mundo Inferior por um momento para se sentir a mortalidade e sabedoria do Grande Desfazer. Lá, os iniciados decidem se querem ficar ou voltar para se juntar a Tradição.

Acólitos: Ocultistas, ativistas que defendem a eutanásia, médicos e enfermeiras, detetives.

Conceitos: Assassino, vigilante, funcionário na área de saúde, sacerdotisa, itinerante.

“Nova vida, novas oportunidades – isso é belo e milagroso. Mas não pode existir nada novo se o velho não partir. Não existe vida sem morte; esse é o grande segredo: o segredo da mudança”

Nenhum comentário: