domingo, 29 de agosto de 2010

Filme: Legião (2010)

Ontem assisti o filme "Legião", e resolvi fazer alguns comentários sobre ele...

O filme nos remete ao nascimento de Jesus Cristo, pois a trama gira em torno de uma criança que está para nascer. Mas, obviamente, esse não é o primeiro filme a tratar desse assunto. Lembro de vários outros filmes que tratavam do mesmo assunto, de O Bebê de Rosemary (1968) a Constantine (2005), passando pelo Exterminador do Futuro (1984).
Você pode dizer: "mas essas crianças não eram Jesus Cristo!" E eu respondo: mas eram crianças!
Hollywood, de tempos em tempos, procura fazer filmes onde crianças são mais do que simples crianças. Lembro-me do filme Os Meninos do Brasil (1978), em que o médico alemão Mengele criou clones de Hitler, para ressuscitar o Nazismo, e as crianças tinham que passar pelas mesmas situações que passou o "original", a fim de que a "experiência" desse certo...É a transformação da inocência em algo maligno...
Então, podemos ver que o fato de haver uma criança no centro das atenções não é em nada original.
Talvez, a originalidade desse filme esteja no fato de que os anjos não são bem o que pensamos deles...

O Arcanjo Miguel é o líder dos exércitos celestiais, padroeiro da Igreja Católica e preside o arrependimento e a justiça.
O Arcanjo Gabriel foi o que anunciou a Maria que ela teria um filho, Jesus. É o mensageiro de Deus, mas também é conhecido como o "anjo da morte". Teria sido ele também que trouxe a mensagem de Deus a Maomé, criador do Islamismo.

No filme, Gabriel faz o que Deus manda, enquanto que Miguel faz o que Deus precisa...Essa subjetividade complica um pouco o enredo do filme, se pensarmos num Deus onisciente e onipresente...Ele mesmo poderia ter resolvido a questão, sem precisar de anjos...E muito menos precisaria que os anjos discutissem suas ordens...

O mais estranho, talvez, nesse filme, é o fato de anjos se apossarem de pessoas, como se fossem demônios...

E a batalha do filme é aquela onde percebemos um toque de RPG: Gabriel, como bom Venator, possui asas de metal, que rebatem as balas da arma usada por Miguel (que, estranhamente, parece estar satisfeito em ter tirado as suas).

Em resumo, esse filme pode receber uma nota 6,0, mais pelas idéias sobre o caráter dos anjos e por nos dar idéias para RPG, do que pelo enredo do filme...

2 comentários:

Lara disse...

Oi madrinha!!!

Adorei o Post!

As asas deles são mesmo ROX! =D

Bjussss

Gustavo disse...

Na verdade, como em toda produção hollywoodiana, o filme uma verdade em forma de fantasia para ser desacredita pelas pessoas. Os anjos na verdade são Annunaki, não têm nada de sagrado.

No filme é dito como a história sobre anjos é mais complicada do que parece, por que diz que realmente não são bem o que as interpretações dizem.

Assim como o Deus aí, não é O DEUS, mas UM DEUS, nada mais que um outra entidade que se autoproclamou um deus. Talvez Anu.

Não é a primeira nem a última vez que hollywood expõe a verdade sobre a nossa história em forma de fantasia para desacreditá-la.

Abraços